Carrinho de compras

Nenhum produto no carrinho.

Copa Mercosul 1995

O título que [quase] ninguém viu

Em 1997, o River Plate liderado por Enzo Francescoli levantou uma taça até então inexistente na sua sala de troféus: a da Supercopa dos Campeões da Libertadores. O torneio foi extinto no ano seguinte, substituída pela recém criada Copa Mercosul, que teve o Palmeiras como primeiro campeão. Mas “há controvérsias”, diriam. O primeiro campeão teria sido o Figueirense.

Realizado durante dez dias entre o final de janeiro e o início de fevereiro de 1995, o primeiro “Torneio Mercosul” foi jogado em Santa Catarina. Foram convidados times do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, mas muitos desistiram por questões referentes ao calendário. Esvaziado, o torneio contou com a participação de times do próprio estado — Avaí, Criciúma, Figueirense, Joinville e Marcílio Dias —, além de Coritiba, Olimpia do Paraguai, Nacional e Cerro do Uruguai.

Na final, o Figueirense derrotou o Joinville por 1 a 0 com um gol de pênalti na prorrogação, marcado por Biro-Biro (não aquele). Embora poucos tenham visto o título — no site oficial do Figueira, a conquista está devidamente registrada —, e seus torcedores devem acreditar que o clube merece reconhecimento oficial por parte da Conmebol.

Faça login ou crie uma conta abaixo.

Criando uma conta, você tem acesso GRATUITO e ILIMITADO a todos os textos da Corner.

  

Leia também:
As veias abertas de um “planisférico” racista
Arte: Guga Dias da Costa

A representação colonialista e do ódio racial global através do futebol Qual o lugar do negro no futebol? O discurso ... (Continue lendo)

Alex
Foto: Jessica Miranda

Não foi na primeira vez. Foi na segunda ida a Istambul que se deu a visita ao Şükrü Saraçoğlu, o ... (Continue lendo)

Jornalista, publicitário e fotógrafo. Estudou comunicação social na Universidad Nacional de La Plata. Para Martinho, não existe golaço de falta (nem aquele do Roberto Carlos em 1997 contra a França ou de Petković em 2001 contra o Vasco). Aos 11 anos, deixou o cabelo crescer por causa do Maldini. Boicota o acordo ortográfico.

Deixe seu comentário