Carrinho de compras

Nenhum produto no carrinho.

O herói macedônio

A trajetória de Goran Pandev

(Publicado originalmente na Trivela em 21 de junho de 2021)

Pandev é daqueles jogadores que se transformam em sinônimo do futebol de seu país. A Macedônia do Norte tem seu reconhecimento no esporte, em partes, por conta do atacante. Dá até para discutir se ele foi o maior craque macedônio, considerando o auge de Darko Pančev. Porém, em relação à seleção, não há dúvidas da maneira como Pandev é mesmo insuperável. O veterano vestiu a camisa da equipe nacional ao longo de vinte anos, quebrando os recordes de gols e o número de aparições. E o desfecho não poderia ser mais reluzente, ao liderar a campanha inédita da Macedônia do Norte a um torneio internacional. Se os resultados na Euro 2020 não foram bons, a grandeza de Pandev ainda assim ficou expressa. Seria assim em seu 122° e último jogo pela seleção, homenageado e ovacionado mesmo com a derrota por 3 a 0 diante dos Países Baixos.Quando Pandev estreou pela seleção da Macedônia do Norte, em 2001, a equipe tinha apenas oito anos desde sua estreia oficial após a independência da Iugoslávia. O time havia disputado as eliminatórias para a Euro 1996 e para a Euro 2000, enquanto faria um papel razoável no qualificatório à Copa de 1998. Mas não que trouxesse grandes perspectivas, se comparada a outras ex-repúblicas iugoslavas vizinhas. O grande craque do país em seus primórdios era Darko Pančev, artilheiro do Estrela Vermelha campeão europeu e dono até de Chuteira de Ouro, mas que não faria muito no período independente e só disputou seis partidas pela seleção macedônia. Havia, basicamente, uma história por se escrever.

Pandev disputou sua primeira partida pela seleção da Macedônia do Norte em junho de 2001. Tinha apenas 17 anos e despontava com a camisa do Belasica na liga local, quando saiu do banco para o duelo contra a Turquia pelas Eliminatórias da Copa de 2002. Ainda levaria um tempo para que ele se firmasse na equipe nacional, até pelos rumos que sua carreira tomou entre os clubes. A promessa se juntaria inicialmente ao sub-19 da Internazionale, mas não seria aproveitado de imediato, emprestado a Spezia e Ancona.

Faça login ou crie uma conta abaixo.

Criando uma conta, você tem acesso GRATUITO e ILIMITADO a todos os textos da Corner.

  

Leia também:
Suriname, a origem multicultural do futebol holandês

Um pequeno país sul-americano esteve na origem do renascimento futebolístico da Laranja Mecânica, contribuindo para seu único troféu internacional. Desde ... (Continue lendo)

Siamo fuori

O sabor agridoce de uma derrota gloriosa e a última Copa como eram antes os Mundiais