Carrinho de compras

Nenhum produto no carrinho.

Uma hora antes na estação

Manhã de quarta-feira. É implacável o frio portenho no mês de agosto. Às vésperas da semifinal contra o Platense, pelo Metropolitano de 1967, Osvaldo Zubeldía convocou os jogadores do Estudiantes que moravam em Buenos Aires para chegarem uma hora antes do horário combinado na Estación de Constitución.

Chegaram Bilardo, Manera, Poletti, Barale e Conigliaro. Durante meia hora Osvaldo Zubeldía nada falou. Diante dos trens que chegavam das mais distantes localidades da grande Buenos Aires, os jogadores observavam sem nada entender. O trem rápido para La Plata saía pontualmente às 8h01. Bilardo resolveu perguntar o que estavam fazendo ali parados.

— Perdão, Osvaldo. O que esperamos?

Faça login ou crie uma conta abaixo.

Criando uma conta, você tem acesso GRATUITO e ILIMITADO a todos os textos da Corner.

  

Leia também:
O hiato

Os 10 anos de hibernação do futebol holandês entre a Copa do Mundo de 1978 e a Eurocopa de 1988. ... (Continue lendo)

Breslau Elf

Antes da inesperada conquista da Copa de 1954, o futebol alemão parecia ter poucos motivos para estar orgulhoso. Mas a ... (Continue lendo)

Jornalista, publicitário e fotógrafo. Estudou comunicação social na Universidad Nacional de La Plata. Para Martinho, não existe golaço de falta (nem aquele do Roberto Carlos em 1997 contra a França ou de Petković em 2001 contra o Vasco). Aos 11 anos, deixou o cabelo crescer por causa do Maldini. Boicota o acordo ortográfico.

Deixe seu comentário