Diego Maradona

Siga el baile

Cristina Kirchner conseguiu na Argentina o que parecia improvável em qualquer país tradicionalmente boleiro: apropriar-se do futebol local como forma de alimentar a propaganda oficial do governo em troca de transmissões “gratuitas” — pagas pelos contribuintes, claro, fossem eles torcedores ou não. No entanto, é preciso contextualizar o que provocou a intervenção do Estado.

O que o doutor disse ao filósofo?

Os ex-treinadores César Luis Menotti e Carlos Salvador Bilardo conduziram a Argentina a seus dois títulos mundiais, em 1978 e 1986, respectivamente. Desafetos declarados, dificilmente dividem o mesmo ambiente. O jogo de egos é tamanho que parece tornar impossível qualquer tentativa de conciliação advinda de um dos lados. Hipoteticamente, Bilardo até tentou.

Mantenha-se informado sobre nossos textos e produtos. Receba descontos exclusivos.
Assine a nossa newsletter.