Carrinho de compras

Nenhum produto no carrinho.

#PedeA24 virou camisa

Fernando Martinho exibe a camisa 24, novo lançamento da marca (Foto: Corner)

Lançada em 2020, a campanha #PedeA24 visava quebrar um tabu no futebol brasileiro. Com criação da agência MullenLowe Brasil, a Corner conseguiu chamar a atenção de toda a imprensa esportiva do País para o fato de que nenhum jogador usava a camisa 24 e todos os clubes evitavam o uso do número, exceto quando eram obrigados por regulamento, como no caso das competições continentais organizadas pela Conmebol.

O motivo de não se usar o número é conhecido: homofobia.

O 24 é o número do veado no arcaico jogo do bicho e por associação, passou a ser associado à homossexualidade. Com isso, a camisa 24 sempre foi evitada. Mas a Corner resolveu provocar seus leitores e seguidores nas redes sociais a pedir o número na camisa. Através da hashtag, as pessoas se encorajavam a vestir a camisa 24 e alguns clubes do primeiro escalão nacional aderiram à campanha como a Chapecoense e o Figueirense e entraram em campo com o número 24 entre seus titulares.

O objetivo foi alcançado, mas a Corner entendia que isso era só o início de uma conscientização e que a mensagem precisava ser contínua.

Em 2021, durante à controversa Copa América que acabou sendo realizada no Brasil após desistência de Argentina e Colômbia para sediarem o evento, a Seleção Brasileira era a única entre as dez participantes a não incluir um jogador com a camisa 24. Eram 24 os convocados por Tite e ninguém entre os seus comandados usava a camisa 24.

Foi quando a Corner decidiu entrar em campo novamente e reativar a campanha #PedeA24.

Em 2020, vários leitores e seguidores pediram para comprar uma camisa que foi exibida na campanha e, em 2021, com o assunto em evidência, a Corner entendeu que era o momento de lançar o modelo e permitir que as pessoas vestissem esse orgulhosamente número em tom de protesto contra o medo de usar a camisa 24.

“O receio de ser visto como homossexual precisa acabar. Não existe nada de errado em ser gay e se uma pessoa não é, não pode ter nenhum problema com um número. É uma demonstração de fragilidade e não o contrário. Vestir a camisa 24 é um posicionamento a favor da liberdade, não só sexual, mas de ser quem você é. Ninguém escolhe ser gay. Ninguém escolhe ser hétero. A camisa 24 era pra ser só um número, e é isso que queremos fazer com a #PedeA24”, declara Fernando Martinho, idealizador da Corner.

O lançamento é mais um modelo que pretende continuar promovendo o conceito da interseção de estilo e futebol. Com revistas, livros e roupas, a Corner se posiciona como uma marca de conteúdo e comportamento.

A camisa #PedeA24 está à venda na loja da Corner nas cores preta e branca com envio para qualquer lugar do Brasil: