Vida e morte de um homem que nunca houve outro igual

O boêmio do Rio

O escritor brasileiro Nelson Rodrigues chamou de “Hiroshima brasileiro”, referindo-se à mítica tarde que passou à posteridade como o “Maracanazo”. A surpreendente derrota de um Brasil que já se imaginava campeão do Mundo deixou o país em estado de profundo luto. Mas na Colômbia, um dos mais célebres brasileiros da sua era celebrou como nunca na sua vida. Porque se ele não podia estar no relvado, então o Brasil não merecia ser campeão. Esse homem era Heleno de Freitas.

Conteúdo exclusivo para assinantes. Para continuar lendo,Faça login ou Assine!
Mantenha-se informado sobre nossos textos e produtos. Receba descontos exclusivos.
Assine a nossa newsletter.