Carrinho de compras

Nenhum produto no carrinho.

Macaquito

Grafite, Baiano e o racismo no futebol argentino

Dois jogadores de futebol, duas alcunhas: Grafite e Baiano. Duas histórias que se cruzaram pelo racismo no futebol argentino e uma dúvida: até que ponto o “vale tudo” dentro das quatro linhas é aceitável como parte do jogo?

Tudo começa no gramado do Morumbi, numa noite de Taça Libertadores da América, duelo entre São Paulo e Quilmes. Ao final da partida, foi decretada a prisão de Leandro Desábato, defensor do time argentino.

O zagueiro discutiu com Grafite e, em um lance ríspido, teria proferido ofensas de cunho racista. O árbitro expulsou o são-paulino por entender que havia agredido Desábato, após uma troca de farpas. Desábato não recebeu advertência em campo — foi punido fora dele.

Faça login ou crie uma conta abaixo.

Criando uma conta, você tem acesso GRATUITO e ILIMITADO a todos os textos da Corner.

  

Leia também:
O herói macedônio

A trajetória de Goran Pandev

O quinto Beatle

George Best: o maior rockstar que o futebol já viu A arte pela arte. Dribles displicentes, jogadas individuais e uma ... (Continue lendo)

Deixe seu comentário